Home / Pastoral da Esperança

Pastoral da Esperança

Perder alguém que muito amamos, é uma das mais dolorosas experiências pelas quais passamos. Mesmo tendo consciência de que a morte faz parte do nosso ciclo de vida, ela nos assusta e nos deixa fragilizados.

Após perdermos algo ou alguém que era importante para nós, é natural passarmos por um processo de adaptação, que chamamos de LUTO. Esse é um processo psíquico para reconstrução, vivência e elaboração de uma perda; ou seja, é um processo, não de abandono, mas de transformação da relação com quem morreu. Uma pessoa enlutada não vai “voltar a ser o que era”, mas estará construindo um novo sentido para a sua vida, descobrindo novas crenças, novos sonhos e construindo uma nova identidade. O luto é o caminho para uma nova etapa de vida.

A elaboração da perda pode levar mais tempo para uns, do que para outros.  Por exemplo, quando a pessoa não entende o que aconteceu, é maior ainda a dificuldade para elaborar a perda. É como se a pessoa estivesse construindo um quebra-cabeça e ali falta um pedaço, que não sabe o que deverá ser feito com aquele vazio.

Quando estamos perto da pessoa que teve uma perda, é comum ficarmos com medo de provocar mais dor e sofrimento, e consequentemente ficamos cheios de dúvidas de como é possível dar-lhes conforto. Não há uma receita infalível, só a sua presença é importante para a pessoa que perdeu alguém querido. O que mais importa nesse momento, não e necessariamente o que é falado, mas o suporte oferecido, que pode apenas ser seu silêncio e Pastoral-da-esperancaou a escuta atenciosa, sem julgamentos e tentativas de “previsões” do tipo: “foi melhor assim…”, “Deus quis assim…”, entre outros jargões que usamos na tentativa de consolo.

Somos seres dotados de compaixão, nós nos identificamos com pessoas que estão sofrendo, e o fato de podermos empatizar com a dor do outro, já conforta de modo que a pessoa sinta-se importante e que está sendo cuidada de alguma forma.

“O luto pela perda de uma pessoa amada é a experiência mais universal e, ao mesmo tempo, mais desorganizadora e assustadora que vive o ser humano. O sentido dado à vida é repensado, as relações são refeitas a partir de uma avaliação de seu significado, a identidade pessoal se transforma. Nada mais é como costumava ser. E ainda assim há vida no luto, há esperança de transformação, de recomeço. Porque há um tempo de chegar e um tempo de partir, a vida e feita de pequenos e grandes lutos e o ser humano se dá conta de sua condição de ser mortal, porque é humano.” (Maria Helena P. Franco)

 

Com frequência, não encontramos um espaço para expressar nossos sentimentos e pensamentos, tão intensos e confusos. Para isso, a Pastoral da Esperança está sendo constituída. Para oferecer um pouco de conforto àquelas pessoas que estão sofrendo por uma perda, seja em consequência de uma morte, por estar acompanhando um ente querido que se encontre num momento frágil de sua saúde, ou até mesmo pelo rompimento de um vínculo (separação, desaparecimento, aposentadoria, desemprego…). Faça contato com a Pastoral da Esperança pelo email pastesperanca@santuariosaojosecapaoraso.com.br ou celular 8766-6170, e obtenha mais informações de como nós podemos ajudá-lo.

Ariana Mamcarz

Psicóloga e agente da Pastoral da Esperança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *