DIAS QUE OCORREM

Reuniões e formações em datas específicas.

OBJETIVOS

A orientação dos documentos da Igreja, bem como dos litúrgicos; é a de que o Canto Litúrgico Pastoral é parte integrante da Celebração, não é um elemento à parte e nem deve suprimir a participação da assembleia. Deve
estar intimamente ligado com o tempo da litúrgico. Deve ser dinâmico, vivo, criativo. No momento em que o grupo de cantores e músicos executam a sua parte na Missa o que deve ser exaltado é a mensagem da música e não apenas a linha melódica de uma partitura.  Santo Agostinho, disse certa vez: Quantas lágrimas verti, quanta emoção experimentei, ao ouvir em vossa Igreja os hinos e cânticos que o louvam! Esta é sem dúvida a verdadeira função do canto, emocionar, interiorizar, atingir o íntimo de cada um, para então provocar uma ação de sair a  caminho no Anúncio do Evangelho e promoção e defesa da Vida.

Conforme a (IGMR 39-40) o canto têm um grande valor na celebração da missa, e deve respeitar a índole do povo e as possibilidades de cada assembléia. Isto quer dizer que devemos cantar com o jeito do nosso povo brasileiro, dos nossos costumes e tradições; porém sem perder a característica primordial do canto que é ajudar a assembléia a expressar o mistério de Cristo e a Sacramentalidade da Igreja.